sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Anão que se considerava repórter policial é detido após se passar por PM falecido, extorquir mulheres e passar trote para batalhão

Após levantamento feito pelo GCM Pereira da Guarda Civil Municipal de Brejo da Madre de Deus, policiais lotados no 24° BPM (Batalhão de Polícia Militar) prenderam no bairro Salgado, em Caruaru, um jovem acusado de passar trotes para policiais militares e de se passar por um oficial da PM para extorquir mulheres através de ligações. 

O anão, Natanael da Silva Santos, de 21 anos de idade, residente em Barra de Farias, zona rural de Brejo da Madre de Deus, foi detido na noite da quinta-feira (14) e na delegacia confessou a prática das acusações atribuídas á ele. 

Segundo informações da Polícia Militar, o acusado realizava ligações para efetivos policiais informando que bandidos fortemente armados estariam em veículos e prontos a realizar ações criminosas contra agências; o que não passava de uma mentira. Inclusive no último sábado (09), Natanael ligou para o 24° BPM e informou que uma agência bancária seria explodida por homens fortemente armados, em Santa Cruz do Capibaribe. 

Foram vários trotes e áreas diferentes, na maioria das vezes efetivos da PM eram deslocados para os locais informados, aonde os policiais faziam diligências e no fim das contas as mobilizações eram desnecessárias. 

Ainda de acordo com a Polícia Militar, Natanael usou o nome de um Oficial lotado no 24° BPM e a foto de um policial falecido, assim sendo ele tentou extorquir dinheiro de duas mulheres, por meio de ligações. Nas oportunidades, ele pediu R$ 3 mil a uma das vítimas, se caso ela não desse a quantia exigida, ele faria uma revista na casa dela e implantaria drogas para incriminá-la por tráfico de entorpecente.

Natanael foi conduzido ao plantão da 17° DESEC, na terra das confecções, aonde foi ouvido e liberado. 

O DETALHE DA NOTÍCIA » Natanael é administrador da página Brejo no Face de alguns grupos de informações no WhatsApp, aonde ele sempre posta notícias policiais, se considerando um profissional do jornalismo policial.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário